Feeds:
Posts
Comentários

A festa do Boi Falô tá chegando!!! E se o Boi falou um dia para o escravo Toninho, que na sexta-feira santa não era dia de trabalhar, o que será que o Boi ainda quer e tem que falar? As Caixeiras da Guia participam dessa festa, convidando o público a manter viva a fala do Boi. Estão todos convidados para a 17a. Festa do Boi Falô em Barão Geraldo de 9 às 14:00 na Escola Barão Geraldo de Rezende.

Pega teu boi, morena
Pra nós benzê
laça teu boi, morena ê ê (refrão)

E agora vou contar, morena
Uma história do passado
De um escravo e seu boi, morena
Um boizinho encantado

refrão

Esta história aconteceu, morena
Já ouvi pra todo lado
Nego Toninho foi quem viu, morena
o boi falar em Barão Geraldo

refrão

Colhi cravo e jasmim, morena
para ele oferecer
neste dia não trabalho, morena
para ele obedecer.

“… eu vim pagar promessa de trazer este boizinho para alegrar a sua festa!” Já começaram as Oficinas de Cultura Popular – “Boi”, com Nil Sena, todos os domingos, de 24 de março a 29 de abril, às 15:00, no Centro Cultural Casarão do Barão!!!! As oficinas são abertas, gratuitas e voltadas para crianças de todas as idades. É mais uma ação do Pontinho de Cultura “Criança, tambor e festa” (MinC), um projeto das Caixeiras da Guia, do Instituto Abaeté e do Casarão do Barão. Não precisa inscrição, é só aparecer e trazer muita alegria e vontade de tocar e dançar!!! Para chegar ao Casarão do Barão: siga a Estrada da Rodhia e, após a Escola Francisco Alvares, vire à esquerda. Após 4 quadras você encontrará um lindo Casarão rosado à direita. O telefone de lá é: 3287-6800

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos de Marcia Balzani

A oficina de chapéus realizada pela artista Marli Wunder ontem no Centro Cultural Casarão de Barão foi um intenso encontro de gente, cores e vida e gerou a criação de chapéus para a participação de crianças e adultos no bloco das Caixeirosas nesse carnaval. O nosso muito obrigada a Marli e a todos que participaram desse momento tão especial. Confiram as fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos de Susana Dias

Esta oficina foi uma ação do Pontinho de Cultura “Criança, tambor e festa” (MinC) das Caixeiras da Guia, Instituto Abaeté e Centro Cultural Casarão do Barão.

Com as Caixeirosas, Pontinho de cultura criança “Criança, tambor e festa”(Minc) promove oficinas gratuitas e realiza pré-carnaval no Centro Cultural Casarão de Barão, Campinas. 

Por: Susana Dias

Este ano, o carnaval da Caixeirosas, um bloco de ritmos que sempre espalha alegria, cores e perfumes pelo distrito de Barão Geraldo, Campinas, tem como novidade o oferecimento de oficinas gratuitas de toques, cantos e alegorias e a realização de um pré-carnaval, dia 12/02 às 16:00 no Centro Cultural Casarão de Barão. A ideia é ampliar a participação do público nesta festa, sobretudo infantil, proposta do Pontinho de Cultura “Criança, tambor e festa”, aprovado pelo Ministério da Cultura no Programa Nacional de Cultura e Cidadania – Cultura Viva, e que resulta da parceria entre o grupo artístico Caixeiras da Guia, o Instituto Abaeté e o Centro Cultural Casarão de Barão.


A coordenadora das Caixeirosas, a música e arte-educadora Cristina Bueno – que oferecerá a oficina de cantos e toques voltada para as crianças – ressalta que o bloco pretende promover um novo tipo de carnaval, recriando a atmosfera do carnaval antigo, das marchinhas, dos bonecos gigantes de Pernambuco, Olinda e Recife, onde reinam nas ruas a pura diversão e a brincadeira. Na oficina, que acontecerá dia 11 de fevereiro às 14:00 no Centro Cultural Casarão do Barão, “as crianças terão um espaço para terem contato com esse outro carnaval, em que espalhamos pelas ruas a força e o fascínio das cores, dos cheiros, dos ritmos, da relação com a infância. Uma aposta de que a festa pode ter também um importante caráter educativo”, diz Cristina. Na oficina, as crianças aprenderão os toques dos instrumentos que fazem parte do bloco (agôgo, chequerê e tambor) e as músicas, em especial o hino das Caixeirosas do cortejo, que este ano traz a bonecona Rosalinda: “Rosalinda é flôr, é flor, é flor/Alegria, alegria, quando passa/deixa seu cheiro de amor (bis)/Criançada é carnaval,/Rosalinda vai brincar com seu spray de Alecrim/ tssss tssss UuaUau!!!”.

Outra novidade deste ano é a realização de uma oficina de alegorias nos dias 11 e 15 de fevereiro às 14:00 e 16:00, respectivamente, em que o público, de todas as idades, será convidado a criar seus chapéus com a artista Marli Wunder. O chapéu colorido é uma marca do bloco criada pela artista. Todos os anos, os foliões desfilam com suas cabeças enfeitadas com penas, flores, bonecas, lantejoulas, brinquedos, tecidos coloridos, fitas etc. Para Marli, os chapéus “levam para as ruas a expressão da vivência pessoal de cada um, fazendo da rua e da festa um espaço acolhedor”. Na oficina serão fornecidos os chapéus, cola, tesoura, tecidos, entre outros materiais, e quem quiser participar deve levar objetos pessoais para decorar o seu.

O pré-carnaval será uma oportunidade imperdível de reunir os foliões num ensaio aberto, no Centro Cultural Casarão de Barão, antes da saída para as ruas. As Caixeirosas saem tradicionalmente no sábado, que este ano cai dia 18/02, saindo às 15:00 da Vila São João em cortejo até a Praça do Coco, onde as marchinhas começam às 17:00. Participam também do evento do Terra Lume e saem no cortejo dia 17/02, que começa às 18:00 na Praça do Coco. Apresentam-se ainda nos dias 19 e 21, às 17:00, no Almanaque Café. Coloque o seu chapéu e divirta-se!

Vejam quando participar das oficinas e carnaval das Caixeirosas (não é preciso inscrição):


“Ó abre alas que eu quero passar…”

É com muita alegria que comunicamos que o projeto do Pontinho de Cultura “Criança, tambor e festa” das Caixeiras da Guia, que tem como parceiros o Instituto Abaeté e o Centro Cultural Casarão do Barão, foi aprovado pelo Ministério da Cultura (MinC) e os recursos foram liberados em janeiro de 2012. O projeto aposta no envolvimento do público através de oficinas em cinco festas populares das quais as Caixeiras participam todos os anos: Carnaval, Festa do Boi Falô, Festa de São Benedito, Caruru de Cosme e Damião e Folia de Reis. A ideia é ampliar as possibilidades do público vivenciar as manifestações artísticas populares como o Carnaval antigo, a Congada, o Samba de roda, o Boi e a Folia de reis. Durante todo o ano serão realizadas oficinas gratuitas, em especial para as crianças, de cantos, toques, alegorias, figurinos, brinquedos e brincadeiras etc. Em breve divulgaremos o calendário das festas, oficinas e ensaios!  As atividades já começam neste Carnaval com oficinas gratuitas, no Centro Cultural Casarão do Barão, de cantos e toques que fazem parte do repertório do bloco das Caixeirosas (dia 12/02 às 14:00) , e de confecção de chapéus coloridos (dias 12 e 15/02 às 14:00), além de um pré-carnaval que vai aquecer os foliões (dia 13/02 às 16:00).

Dia 21 de agosto de 2010 no Sesc Campinas as Caixeiras da Guia farão o lançamento do mais novo CD. Não perca!

Saudações das Caixeiras da Guia

Oferecemos estas músicas a todas as mulheres que embalam o tempo com seus cantos e toques sagrados. Cantos e toques de trabalhar e de festar, de brincar e de louvar, de ninar e de velar que, no interior do trabalho rotineiro, silencioso e solitário, criam brechas para a leveza e união. Ritmos que pulsam na suavidade do toque e na dureza da vida;

Oferecemos estas rezas cantadas a todas as Caixeiras do Divino do Maranhão, em especial a Mãe Celeste da Casa das Minas, a Caixeira Marlene de Alcântara e as Caixeiras da família Menezes da  Casa Fanti Ashanti – Dindinha, Zezé, Graça e Bartira – que tanto nos ensinaram e que, felizmente, nos presetearam com suas presenças neste CD. Seus toques e versos, sempre abertos ao improviso, um dia convidaram-nos a continuidades. Apaixonadas pela caixa-do-divino, assimilamos suas canções tradicionais e as recriamos a partir de nossas sensibilidades e coloridos próprios;

Oferecemos esta alegria aos cantadores e cantadoras, rezadores e rezadoras, tocadores e tocadoras das Folias de Reis, Congadas e Afoxés, que nos ensinam a vontade de vida em seus gestos. Vozes calejadas que festam, louvam e instauram-nos um ritmo persistente de força e fé;

Oferecemos este trabalho aos nossos ancestrais amados, aos nossos guias, ao Divino Espírito Santo e à Mãe Senhora em suas várias manifestações – Nossa Senhora da Guia, do Rosário, Senhora Santana, Iemanjá, Oxum, Oiá… A eles pedimos que as canções aqui gravadas sejam brisa, fagulha, poeira e orvalho fino, que se espalhem com força e leveza, e que sejam um convite a outras criações e partilhas;

Oferecemos esta criação coletiva, que celebra os primeiros sete anos do grupo,  a todos – crianças, homens e mulheres de diferentes profissões – que passaram pelo grupo. Em nossos encontros semanais, desde 2003, e nas centenas de apresentações em lugares diversos – escolas, festas, quintais, praças, festivais – traçamos caminhos inéditos de prazer, alegria, aprendizado e dedicação. As canções aqui gravadas trazem a memória de cada pessoa que esteve conosco e o toque sagrado de um tambor imemorial, que segue…

A vocês, infinitas Saudações… tum, tum, tum

Caixeiras da Guia, Barão Geraldo, Campinas (SP), 2010

Saudações das Caixeiras da Guia foi produzido com o apoio do FICC.